Me reinventar... como?


ME REINVENTAR... COMO?

Sou coach profissional há mais de 20 anos e descobri que me reinventar regularmente faz muito bem. Quando comecei eu fazia coaching. Eu amava fazer coaching e, de certa forma, eu poderia fazer o mesmo até hoje e me sentir satisfeito e pleno.

Ainda assim, pelo caminho descobri oportunidades e tentei coisas diferentes, até ao ponto onde hoje me vejo com um time de coaches fazendo coaching nos vários continentes.

Para mim, foi a reinvenção que manteve a energia e o entusiasmo ativos mas, isso não é tudo. Também pude gerar mais rendimento através desses caminhos, desenvolvendo uma receita passiva.

A visão que persigo há vinte anos, que é ver todo líder como um coach e o escopo dessa visão, pode soar um pouco absurda para quem está apenas iniciando; é claro, uma grande e ousada visão não acontece do nada. Foi necessário desenvolver e pausar, desenvolver e pausar, reinventando sempre enquanto eu caminhava.

Aqui estão algumas fases que me acompanharam durante o desenvolvimento e reinvenção:

Inicialmente, meu mentor coach aconselhou fazer coaching por três semanas e tirar uma semana de folga. Isto me dava tempo para recuperar, descansar e fazer outras coisas. Eu fiz assim, consistentemente, pelos três ou quatro anos de tempo integral como coach.

Em seguida, algumas pessoas e clientes me disseram que desejavam aprender a fazer coaching comigo. Assim, em uma daquelas semanas de folga treinei um grupo de 20-25 pessoas. Poucos meses depois outro grupo me pediu para treiná-los e, enquanto eu não gostava de ficar sem minha semana de folga, fiquei surpreso quando percebi que havia gerado mais renda naquela quarta semana do que nas três semanas com meus processos de coaching.

Tempos depois, eu já trabalhava com outros professores e não dava os treinamentos sozinho – esta foi uma das fases mais difíceis pra mim. Mas, logo entendi que isso tinha a ver com trabalhar usando inteligência do que fazer tudo sozinho - fez todo o sentido pelo ponto de vista da renda, pois nessa multiplicação eu passei a ganhar mais com um menor volume de trabalho.

Por exemplo, se estou em uma cidade fazendo um treinamento de 40 horas, posso me conectar com outros estudantes, responder algumas perguntas e outro treinador vai dar a sequência das horas de treinamento. Ainda faço parte do esquema, mas faço atuo por trás das cortinas.

Sim, ainda viajo bastante, mas hoje chego antes e, ao contrário de participar do programa completo, ajudo com os detalhes necessários para o sucesso dos treinamentos. Posso passar 8, 14 ou 20 horas com vários grupos investindo na possibilidade de trazer o nosso time e já sair para outro objetivo. Agora, meu papel mudou novamente, para maior desenvolvimento do negócio, juntamente com o treinamento dos facilitadores.

É claro, isso faz sentido para o desenvolvimento de um bom negócio, o que também faz da minha visão global, uma realidade. Isto jamais aconteceria se apenas uma pessoa estivesse a frente de tudo. O impacto é muito maior dessa forma.

Será que você vai precisar se reinventar assim como eu precisei? Talvez não. A verdade seja dita, fico insatisfeito rapidamente e sempre me pego buscando algo novo para fazer. Sua história pode ser como a minha ou bem diferente. Sugiro que a cada dois anos, você pare, olhe para trás e reflita no andamento de seu negócio; avalie no que há de novo e veja se há necessidade de perseguir e se reinventar nesse caminho.

As pessoas virão interroga-lo, como vieram até nós. É claro, podem dizer que “isso” não poderá ser feito ou que ninguém ficará interessado. Sim, pode dar certo e, sim, as pessoas virão para duvidar. Mas, não permita que alguém o convença de que não dará certo. O certo é parar e contabilizar. Observe o que tem feito e, se precisar, aperte o freio, pise aos poucos “na água”. Não estou dizendo para você largar tudo que faz e entrar a todo vapor em algo totalmente novo. Primeiro faça o teste, e, depois, siga adiante.

Há tempos assisti um vídeo inspirador do Arnold Schwarzenegger, que contava sua história de sucesso. Muitas pessoas haviam dito que ele não conseguiria, e que seu sonho era impossível de ser realizado. Ele provou que estavam errados, reinventando-se muitas vezes durante o seu processo! Onde estão os seus sonhos?

Em muitas áreas da vida, sempre seremos recompensados quando tentamos fazer coisas novas. Como empreendedores, seremos recompensados. Repense suas oportunidades e use-as para alcançar seu sucesso e o cumprimento de todos os seus sonhos.

Grande abraço e sucesso.

Val.

0 visualização